segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Capítulo 10.5





O Que Aconteceu No Museu



Gárgulas de pedras imponentes davam as boas vindas aos visitantes do histórico museu de Pewter. A grama verde e bem dava cor ao local inundado pelo cinza morto das paredes lisas da construção que contava com grande janelas de vidro em seus dois andares. Sendo fim de tarde, o movimento estava ameno. Assim Leaf e Rick adentraram o local, pagando uma taxa pela visita, e ficaram maravilhados com os tesouros resistentes ao tempo guardados ali – mesmo o professor que já visitara o ponto turístico várias vezes continuava com os brilho dos olhos dos visitantes de primeira viagem, fazendo questão de guiar a companheira como se a mesma fosse uma aluna de sua classe.
 
- Não consigo entender como é que essas coisas conseguem sobreviver depois de tanto tempo, achava que todo o ser vivo passava pelo processo de decomposição depois da morte.

-Mas eles passam, porém, alguns têm a sorte de serem cobertos por sedimentos que são carregados pela água, por exemplo, preservando seus restos biológicos.

Depois da seção de fósseis, eles passaram para adiante para de artefatos, no segundo andar, lá encontraram lanças, casacos de pele, peças artesanais...

Blackout.

As luzas oscilaram até se extinguirem por completo, sendo seguidas por um barulho ensurdecedor dos alarmes de segurança. De repente o ar ficou mais denso, respiração ofegante, só poderia ser resultado de um Smokescreen. Uma explosão. Parte do teto cedeu. Estavam mesmo atacando o lugar.

Quando um grupo de Pikachus trouxe a energia de volta minutos depois, puderam finalmente ver o estrago. Os destroços do buraco feito no teto por sorte não haviam acertado alguém, contudo, destruíram por completo diversos objetos de valor inestimável.

Duas figuras humanas de olhos estonteantes seguravam um Old Ambar de dentro dum balão. Os dois trajavam uniformes brancos com um “R” rubro em destaque no peito e luvas pretas, semelhantes as que viram os guardas da Team Rocket usar anteriormente durante a confusão na Veridian Forest. O que mais chamavam a atenção neles eram seus cabelos coloridos, a mulher usava de sua cabeleira rosada farta para um penteado curvo incomum, ao contrário de seu companheiro que de azul optava por um chanel  igualmente estiloso com um pequeno Zubat repousando em seus ombros.


Os seguranças, acompanhados por uma matilha de Growlithes, chegaram depressa. Os cães ladravam expondo suas mandíbulas abarrotadas de dentes grandes e afiados que conseguiriam facilmente arrancar a perna de alguém com apenas uma mordida.

-Larguem as pokébolas e se entreguem vocês estão presos por destruição do patrimônio publico.

- HAHAHAHA – riu bem alto a mulher de lábios vermelhos – você está vendo isso, James? Eles querem que nos entreguemos KKKK.

- Vocês já viram ladrões se entregarem alguma vez? Não, porque o que roubamos é propriedade nossa agora.

Os cães se preparavam para dispara seus ataques flamejantes quando algo passou zunindo e um som enlouquecedor fritou os miolos de qualquer um que o escutou, tapar os ouvidos parecia inútil, o barulho era parecia entrar por cada esporo do corpo. Quando Leaf parou de ver tudo girando, percebeu que os policiais ainda estavam atordoados e que os Growlithes estavam atacando um ao outro, e o pior, os criminosos estavam escapando.

Imediatamente liberou seu Metapod que impediu que os intrusos movem-se um centímetro sequer com seus resistentes fios de sedas. A ação fora bem sucedida até a dona dos cabelos rosados colocar uma cobra púrpura de chocalho amarelo em campo.  A serpente disparou uma saraivada de Poison Sting no casulo não tendo o dano esperado graças a combinação da técnica Harden e da habilidade especial Shed Skin, que lhe dava a capacidade de se recuperar do Poison-status.



Todavia, ela não desistia fácil e com seu Wrap estava disposta a espremer todos os órgãos vitais de sua vítima, uma morte lenta e dolorosa. A carapaça de Metapod começou a trincar depois que Ekans começou a lhe desferir diversas mordidas e Leaf, não acostumada com batalhas, não sabia o que fazer. Foi quando um macaco de  pêlos alvos e bem tratados chegou de surpresa com um movimento de Kong-fu obrigando a cobra a libertar sua presa. Foi quando a jovem percebeu que seu parceiro havia se libertado da confusão do Supersonic.

Aquela não seria um luta fácil. Os dois lados tinham movimentos ágeis e reflexos apurados, contudo, Mankey estava em desvantagem pois seus movimentos lutadores eram pouco efetivos e seu poder de ataque fora reduzido pelo Intimidate.

-Wing Attack, não temos tempo para perde aqui.

O morcego desceu cortando o ar com suas que mais pareciam laminas prestes a decepar qualquer ser que entrasse seu caminho, cortando com grande facilidade os fios de seda de Metapod e depois nocauteando-o. Acertaria Mankey também com o mesmo movimento se o macaco não tivesse esquivado no último instante. Porém, agora eram dois contra um e os pokemons dos Rockets não pareciam do tipo que pegariam leve por estar em vantagem.

Antes de atingir o lutador com seus melhores golpes, os mordedores estagnaram no ar com uma expressão de dor, olhos prontos saltar de suas cúpulas, e em seguida foram lançados contra a parede, derrotados, por uma força sobrenatural.

Onde outrora jazia um Metapod desmaiado, agora uma belíssima Butterfree dançava no ar com suas asas pomposas. Suas antenas no topo da cabeça mexiam-se como radares prontos para detectar o inimigo onde estivesse.



-Uau! Quilo só pode ter sido um Confusion – comentou Rick impressionado.

- Eu a adorei, sempre quis ter um Butterfree. Tenho certeza que vamos arrasar nos Contests a partir de agora. – os olhos de Leaf cintilavam ao ver a beleza de sua nova Pokémon, nunca acreditara que aquilo inseto asqueroso pudesse vir a ser um de seus maiores orgulhos.

Os Rockets haviam recolhido seus pokémons e se preparavam para sair de fininho.

-Parados ai! Devolvam o que roubaram se quiserem sair daqui vivos – bradou a coordenadora

-Jessie, acho que estes são os pestinhas que destruíram a base da Veridian Forest. – cochichou o dono dos cabelos azulados.

- Verdade, mas não estou vendo o tal de Newhouse que estamos procurando. – cochichou de volta a de cabelos rosa – Ei, cadê o garoto que anda com vocês? Red, não é?

- Não está com a gente. O que imundos como vocês querem com ele?

- Ele é o procurado número 1 da Team Rocket, os dias de vida dele e do pai estão contados. – disse Jessie, dando uma gargalhada horrenda em seguida – Vamos James, o Meowth está esperando por nós. Até mais, pirralhos.

A fumaça  densa e escura cobriu o museu novamente e quando se dissipou não restava mais ladrões para contar história. Os garotos passaram algum tempo na delegacia prestando depoimento sobre o que ocorrera no museu e depois voltaram para casa, chateados por não terem conseguido parar os bandidos, mas jurando que não contariam para Red nada do que havia acontecido, principalmente a parte que os Rockets estavam atrás da cabeça dele. 





NOTAS DO AUTOR

PRÓXIMO CAPITULO



4 comentários:

  1. Eu sempre pressinto que quando algo está bom e tranquilo demais venha algo pra estragar. O museu de Pewter é legal e eu achava ainda mais quando conseguia pegar um Pikachu e ia lá com ele e uma menininha falava que queria um. Beijos pro recalque muahahaha (parei)
    Jesse e James estão aqui e não são idiotas *-* (pelo menos não parecem ser). Eu sempre achei por algum motivo que a equipe Rocket é que mais tem cara de criminosa. Acho que foi por causa do primeiro filme do Mewtwo (chorei igual uma condenada). Tipo Giovanni comanda uma equipe criminosa que atua em duas regiões e ainda tem tempo de ser o líder de ginásio mais fodástico em uma delas, fora as influencias em outras regiões que eles exercem.
    Buterfree, porque são tão lindas? Eu adoro esses pokémons. Primeiro porque são extremamente versáteis nas batalhas já que podem usar golpes do tipo normal, psíquico, grama, veneno e voador. Segundo porque evoluem rápido e são fáceis de treinar. Terceiro: São tão fofinhos! E quarto porque me fizeram chorar rios no animê quando Ash se despede da sua. Normalmente as pessoas desvalorizam muito os tipo inseto, por isso coloquei um na minha protagonista em Hoenn que normalmente o pessoal despreza por sua aparência, mas que pode ser extremamente útil se treinado.
    Eu acho que Rick e Leaf deveriam contar a Red sobre o que aconteceu depois que ele ganhar a insígnea. Tipo, se criminosos internacionais estivessem me procurando eu gostaria de saber pelo menos pra prever uma possível data de morte rsrs
    O especial bem ficou legal.
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sempre fiquei bolado com o fato da Equipe Rocket serem retardados mentais (sempre torcia pra eles finalmente conseguirem roubar o maldito Pikachu) e vou mover montanhas para que o mesmo não se repita em meus domínios. Esses criminosos tem bastante potencial e pretendo dar a devida atenção a ele, afinal, Giovanni é o motherfuck de todo esse mundo pokémon.Afinal, quem consegue controlar várias regiões de uma vez?

      Buterfree são mesmo linda, aliás, acho todos os Bug-type detentores de uma beleza incomparável Não se assuste se eu encher a party de todos os personagens com essas criatura maravilhosas. Não me faça relembrar aquela despedida da Buterfree do Ash, não superei até hoje. Fico imaginando até hoje onde ele estaria, como são os filhos dele, se foi capturado novamente. É um bom tema para uma oneshot (para, Gabriel!)

      Eu penso o mesmo. Se alguém quer me matar eu acho que eu tenho direito de pelo menos ficar sabendo? Nem sei qual é a lógica que esses dois usaram para resolver ocultar essas informações do pobrezinho do Red.

      See ya!

      Excluir
  2. Bom,vim conferir esta fic,li todos os capítulos e eu:Gostei desta fic.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola, Sir Naponielli! Bem vindo a Kanto :)

      Fico muito grato a você por ter disponibilizado o seu precioso tempo para se perder em devaneios na minha história, isso me deixou muito feliz, anda mais por você ter gostado.

      Obrigado por comentar, espero te ver por aqui novamente. Até mais |o|

      Excluir