sábado, 6 de abril de 2013

Capitulo 03



 Confusão em Auto-Mar!




O barco partiu pelo imensurável oceano. As ondas batiam na embarcação com brutalidade enquanto o barulho do motor abafava o piado das gaivotas. Graças às medidas eficazes de proteção ao mar de Kanto, a água era límpida e cristalina dando a possibilidade da tripulação visualizar as criaturas submersas. Red estava na proa do barco, recebendo a brisa refrescante acomodado em um assento, acolchoado e embutido.

A algazarra que se formava com ênfase na embarcação atrapalhava qualquer um que procurava um momento reservado. Muitos ali eram turistas ou pequenos empresários que transitavam constantemente para fora da ilha.

Já era noite quando todos foram surpreendidos por um súbito aviso do capitão: “Será necessário parar neste instante, por questões de segurança. Estamos próximos a uma área de acasalamento dos Gyarados e creio que eles não queiram ser interrompidos nesse momento crucial”, informava o capitão recebendo a aprovação unanime de sua tripulação.

Mesmo concordando Red ficou desapontado, pois esperava chegar em Pallet Town ainda naquela noite.Pelo seus cálculos faltavam um pouco mais que 50 km.Após um longo suspiro, retirou uma pequena almofada e uma revista ,que achou jogada na cômoda do quarto ,e acomodou-se para a leitura.A embarcação era iluminada por algumas lâmpadas,ligeiramente afastadas,que recebiam energia do motor,dando ao garoto melhores condições para desfrutar revista.A revista a qual Red lia tratava-se de dicas básicas para treinadores iniciantes, como ele,que havia recebido de presente no seu último aniversário pelo seu avô.

Uma nuvem, púrpura e densa, vinda de alguns metros dali cobriu toda a área por completo.Qualquer um que inalasse aquele gás estava sujeito a mal estar, dores e febre alta. A visão de Red ficou turva, relutante ele apagou.

                                              
Vagarosamente o garoto de boné abria os olhos. Sua cabeça latejava intensamente. A visão foi ficando nítida, e o garoto ficou muito surpreso ao encontrar um cenário bastante diferente ao qual se encontrava antes. Aquele era um navio pirata-igual aos dos filmes. O assoalho feito de carvalho envernizado, dois grandes mastros-onde no topo as lufadas de vento balançavam uma bandeira com uma caveira estampada-, cinco canhões - minuciosamente posicionados, e alguns barris espalhados.

Um pouco distante, rente ao timão, duas figuras dialogavam entre si. Era impossível visualizar seus rostos, por conta dos raios solares que refletiam nos mesmos. Uma delas virou-se e andou em direção a Red. A cada passo que dava um estampido, devido ao atrito da “perna-de-pau” com a madeira-que este utilizava-, era ouvido.Era um rapaz.Jovem, de cabelos loiros afastados,olho verdes e de sorriso perpetuo.Trajava típicas roupas de pirata: camisa branca de manga longa sobreposta por um casaco preto vitoriano;calça de linho acinzentada;brinco alargador;chapéu característico e um “tapa olho” esquerdo.



-Confortável?- questionou, sorriso sarcástico de canto.

Red paralisou. Só agora este percebera que estava amarrado, por grossas cordas, envolto de um mastro. Olhou ao seu redor e avistou que todos os passageiros se encontravam no mesmo estado: imobilizados e desacordados.

-O que está acontecendo?Quem é você?- perguntava amedrontado.

O pirata soltou altas gargalhadas.

-Você ainda não percebeu?Isso aqui é um seqüestro, moleque. – respondeu- Lançamos um ataque Toxic no barco de vocês e depois trouxemos todos para cá. Não se preocupe já demos uma dose de Antidote para todos. Precisamos de vocês vivos.

-Me tirem daqui, me tirem daqui!-berrava, utilizando da pouca energia que lhe sobrara.

-Ninguém irá lhe ouvir, estamos a horas da costa. O capitão, daquela pequena embarcação que vocês utilizavam, já foi liberado para ir buscar o resgate e caso ele não volte daqui a duas horas, todos morrem.

Red calou-se e, pois se a chorar. Ele havia aceitado sair naquela aventura para fugir de tudo aquilo que o atormentava, e novamente ele estava sujeito a ser um instrumento de diversão para outras pessoas. Naquele momento, ele desejou que aquele pirata o matasse, só assim ele poderia sair daquele inferno.

Alguém se moveu ao lado do moreno. Era um garoto ruivo que parecia estar acordando. Este utilizava um boné oficial da liga Pokémon- ao qual Red viu o anuncio de TV no ano passado, regata preta sobreposta por um colete amarelo, calça azul fraco e um par de sapatos estilosos.



-Que dor de cabeça miserável - praguejava o ruivo- Hã?Onde estou Arceus?

O menino esboçava uma feição confusa, parecia está tentando reconhecer o local.

-Você está servindo de refém para um bando de piratas -respondeu Red, o menino voltou-se para ele- Qual é o seu nome?

-Alex. Como assim?Fomos raptados?Mas eu preciso chegar a Pallet ao mais tardar das oito da manhã.

-Exato. E pela posição do sol, deve ser quase nove da manhã. -disse Red- Ah quase me esqueci... 
 Prazer meu nome é Red.

-Precisamos dar um jeito de escapar imediatamente!- exclamou.

 O garoto, em uma tentativa de se livrar das cordas, se mexia freneticamente, e acabou por despertar um pequeno canino que repousava próximo dali. A criatura mordaz possuía: pelos assentados de cor laranja,com algumas marcas pretas;unhas afiadas;um tufo de pelos brancos no topo da cabeça, assim como abaixo do pescoço e cauda pequena.





Red o reconheceu de imediato, era um Growlithe.Tantas vezes já cuidara dos incontáveis cãezinhos do avô que sabia tudo sobre eles.Este começou a rosnar, como um sinal de alerta para o ruivo.Red lançou um olhar de reprovação para o garoto que parou no mesmo instante.

-Assim você vai chamar a atenções dos bandidos. Precisamos pensar em outro meio...

      ***

A costa era visível. O barco estava em velocidade máxima, e o motor dava sinais de esgotamento. O tempo limite decorria ligeiramente, como um afrontamento ao homem. O capitão do barco suava frio, e estava lívido. O que iria fazer?Não tinha o dinheiro requerido pelos assaltantes marítimos, e foi proibido de acionar a polícia. Ele não poderia deixar todas aquelas pessoa a mercê dos piratas, seriam executados com certeza.

Na delegacia local de Cinnabar, os policiais foram surpreendidos por um homem que gritava de fora e entrou descontrolado. Este insistia em querer falar com o delegado, mas logo foi advertido por um guarda.

-Sente-se e se acalme, senhor. Logo será atendido. -disse um policial, com tom rígido.

-Mas eu tenho urge. Minha tripulação está servindo de refém para um bando de piratas, eles pediram o resgate, mas eu sou um trabalhador humilde não tenho aquela quantia. -o olhar do homem era misericordioso, mas o policial apenas disse:- Aguarde.Vou avisar a delegada, estamos atrás desses delinqüentes há anos.

Não demorou muito para que o homem fosse recebido pela delegada. Esta tinha grande charme em seus cabelos volumosos esverdeados, olhos azulados, farda policial, sapatilhas comuns de coloração preta e com longas ousadas pernas a mostra.

Ela o convidou a entrar em seu escritório. Lá ele explicou tudo o que havia ocorrido, e a policial estava atento a cada detalhe e sempre fazendo algumas perguntas. Ao termino do interrogatório, a mulher levantou-se e deu seu veredito:

-O senhor permanecerá aqui. Não se preocupe, depois de tanto tempo hoje irei por aqueles piratas atrás das grades-falava ela convicta- Preparem a lancha e mais sete homens.

                                                         ***

A cerca de 150 quilômetros  dali, os dois jovens promissores esforçavam-se para ter uma idéia que conseguisse libertar eles e os demais.Nenhuma idéia.Pelo menos nenhuma plausível, mas havia uma que era total loucura, se algo desse errado eles sairiam seriamente feridos.

Os dois estavam discutindo os últimos detalhes do plano. Os demais tripulantes permaneciam desacordados- algumas vezes alguém acordava, mas acabava por voltar ao repouso por conta do mal-estar. Os criminosos haviam desaparecido, mas o cão de guarda continuava a postos.

 Alex começou novamente a se debater contra o mastro, adquirindo a atenção do cachorro, que agora latia com veemência. Do assoalho eclodiu o pirata de antes, por um fundo falso que dava acesso a parte inferior da embarcação, esboçava uma feição de raiva.

-O que está acontecendo aqui?- indagou, rígido.

-Eu tenho direito a liberdade, e quero utilizar-me dele- disse Alex sem delongas.

-É difícil entender que você é um refém?Growlithe cuide dele!

Cumprindo irrefutável as ordens de seu mestre, Growlithe lançou um poderoso jato de fogo incandescente em direção aos dois ávidos jovens.Estes lutaram para escapar das chamas, mas infelizmente tiveram serias queimaduras nos braços e pernas.Contudo as cordas foram rompidas e os prisioneiros libertados.O plano havia dado certo, em partes.

-Não tem saída. Vocês são estão piorando a situação. - o pirata sacou um canivete de suas vestes e apontou para os dois - Se fizerem um movimento duvidoso eu farei picadinho dos dois.

Enquanto o criminoso aproximava-se, Alex retirou de seu bolso um objeto esférico bicolor metálico e lançou-a. Este após ser acionado liberou um pequeno monstrengo. Era um lagarto alaranjado, tendo uma cor creme que se estendia da barriga a cauda, garras nitidamente afiadas, e sua parte mais notável é a chama que há na ponta da cauda.



O réptil de imediato liberou uma cortina de fumaça que encobriu tudo a um raio de vários metros, deixando o nível visibilidade próximo do nulo. Esse movimento era conhecido como Smokescreen.

Quando o mesmo se dissipou, a situação da dupla estava complicada. O seqüestrador havia imobilizado Red e o canivete era comprimido em sua face, Alex uivava de dor por conta da mordida que levava do canino.
  
De súbito dois outros rapazes adentraram o cenário. Estes eram bem semelhantes e seus cabelos de coloração vermelha e azul ganhavam destaque. Possuíam corpos atléticos e usavam igualmente camisas de mangas refinadas e tapas olhos. Um estava armado com uma arma de fogo e o outro com uma faca afiada.



Eles riam alto.

-Meu caro irmão, será que você está encontrando dificuldades com esses dois pivetes?-questionava o homem com “cabelos de fogo”.

-Está tudo sobre meu controle. Só um pequeno estorvo aqui.

O pirata equipado com arma de fogo apontou a mesma para Alex, ordenando-o a voltar para perto do mastro, já Red fora lançado com brutalidade ao chão e recebeu alguns chutes. O terceiro homem agarrou o pequeno réptil e ameaçou jogá-lo no mar. Alex bradou piedade.

Um estrepito de motor ecoou de longe. Todos viraram-se para atentar-se ao produtor deste.Era uma lancha que vinha veloz, cortando as ondas do mar levemente,com sirenes vermelha e azul.

A troada deu-se inicio.

Cada milésimo passou em câmera lenta aos olhos de nosso herói. As balas deixavam devastação aonde atingiam, e todos os tripulantes acordaram de sobressalto com o ensurdecedor barulho de tiroteio. Red e Alex aproveitaram o momento de distração dos piratas para libertar os prisioneiros, utilizando do Metal Claw do Charmander.

Os irmãos lançaram um rebanho de Tentacruels que iam combater diretamente com um esquadrão marítimo da policia, formado por habilidosos Wartotles.As água começavam a ficar turbulentas graças um Rain Dance lançado por alguns dos pokemons aquáticos, dificultando a aproximação da policia e o resgate dos demais.

Em meio a bagunça que fora formulada, Red encontrara um serio problema: o Charmander estava esgotado e  Growlithe se aproximava enfurecido.Este disparava ataques flamejantes próximo aos reféns,fazendo-os recuar e do mesmo modo desgastava a madeira, assim em alguns minutos o navio começaria a afundar.

Charmander tentou mais uma vez o ataque de fumaça, mas foi infeliz ao falhar. Growlithe se preparava para um ataque certeiro, Red se precipitou e chutou o cão com demasiada força que o mesmo fora lançado a alguns metros e seu ataque atingiu o pavio de um dos canhões, e uma bola de canhão foi arremessada ao mar.

A turbulência na água crescia gradualmente, ficando a tal estado de nem mesmo os pokemons aquáticos conseguirem se movimentar com naturalidade. E do meio da batalha entre policia e criminosos o monstro mais temido dos mares surgiu, com um ar glorioso.Não era só um, mas sim um bando de Gyarados que estavam estarrecidos com interrupção de seu acasalamento.

Tudo ficou escuro como o breu...




O que será que ocorrerá com nosso herói?A policia conseguiu capturar os bandidos ou eles escaparam?E o Alex ficará amigo do Red?Tudo isso muito mais nos próximos capitulos de Neo Pokemon Kanto.












4 comentários:

  1. Hei Gabriel, não tinha visto seu capítulo cara, confesso que gostei muito. Apesar de Red ser inteligente ainda é um garoto frágil devido ao que passou na infância. Espero que um dia ele consiga superar isso e tenha muita confiança em si mesmo. Quero muito saber qual será o inicial dele apesar de já ter uma pequena ideia.
    Pessoalmente, gostei bastante dessa história de piratas, no futuro eles farão parte de minha fic tbm, mas acho q os seus serão bem mais bonitos kkkk.
    O Alex me parece ser um ótimo personagem, tanto como amigo quanto rival e já possui um pokémon bem forte (amo Charmanders *.*). Aguardo ansiosa pelo próximo capítulo man, tenho certeza de que ele será tão bom quanto esse :)

    ResponderExcluir
  2. Hello Carol!

    Sim, o Red é muito intelgente mas ao mesmo tempo fragil e receoso.Mas ele sofreu serios danos na infância que só se cicarizam com o passar do tempo quando ele construir uma nova história para si mesmo.

    Piratas são quase que obrigatóroios nas fanfics de pokemon, eles sempre causam, e acredite estes guardam muito mais que isto.

    O Alex se encaixa perfeitamente nos dois lados da moeda, tanto rival como companheiro.Mas acho que esse Charmander faria uma intensa batalha com o inicial do Red(spoiler).

    Obrigado por comentar, espero ver você mais vezes em Kanto.

    ResponderExcluir
  3. Temos então histórias de piratas por aqui?
    *Não Shadow, são áliens!*

    E aí Gabriel! Que belo capítulo a gente pôde conferir aqui! Cara, eu gostei muito da maneira como o enredo foi trabalhado. Deu pra sentir a tensão do momento do rapto dos passageiros, e também a adrenalina nesse final. Você tem uma boa habilidade em fazer esse tipo de coisa.

    Esse Alex parece estar começando a jornada dele também. Posso vê-lo como um bom amigo para o Red, ou até mesmo pode vir a ser um rival. De qualquer maneira ele possui uma personalidade bem diferente da do protagonista, o que vai dar um contraste legal toda vez que eles dois estiverem juntos. Esse é um ponto onde você pode guardar boas expectativas se continuar trabalhando bem.

    E por fim o que deverá acontecer agora que eles estão cercados pelos Gyarados? Para um começo de jornada, as coisas estão bastante intensas já.

    Excelente capítulo cara! A gente se fala em breve.

    ResponderExcluir
  4. Olá!

    Um capítulo cheio de pressão e olha que estamos só no inicio! O que virá a seguir?

    Estava à espera de encontrar o Blue, mas o Alex também parece ser um bom amigo ou rival, ainda não sei, só espero que eles se safem dessa!

    ResponderExcluir